O Mercedes-Benz Arocs no transporte de troncos longos na Holz-Krause

Arocs

Especialista em trabalhos especiais.

Estugarda/Lamspringe: 20 toneladas de peso e 22 metros de comprimento - transporte especial de materiais de construção. Dieter Krause segue em viagem com troncos longos, a matéria-prima para diversas aplicações em todo o setor da construção. Dieter Krause é o proprietário de uma empresa de transportes totalmente dedicada à logística relacionada com materiais de construção naturais.

O Mercedes-Benz Arocs 2658 L 6×4 numa descarga de troncos longos.

Há quase 50 anos que Krause se dedica ao negócio da madeira, primeiro na comercialização de madeira, realizando o abate de árvores e, mais tarde, também como transportador de árvores abatidas na floresta, trabalho no qual utilizava inicialmente o Unimog e, posteriormente, dois MB-Trac. Esta relação com os veículos com a estrela na grelha do radiador foi mantida pelo especialista em madeiras quando, nos anos 90, direcionou progressivamente o seu negócio para o transporte de troncos curtos e longos.

Condução muito mais confortável graças à suspensão pneumática.

Atualmente, a Dieter Krause utiliza dois Actros de 33 toneladas de primeira geração no transporte de troncos longos e, recentemente, um Mercedes-Benz Arocs veio completar a frota da Krause, que inclui ainda dois reboques de troncos curtos. No que diz respeito ao seu novo reboque de troncos longos, o empresário, que também é condutor, optou por um veículo de três eixos com um peso bruto admissível de 26 toneladas para o veículo isolado. Um reboque autodirecional Doll converte o 2658 num reboque de troncos longos de 40 toneladas.

“Com a suspensão pneumática, desfruto de um conforto de condução que os primeiros veículos de molas de lâminas simplesmente não podiam oferecer”, afirma Krause elogiosamente acerca da suspensão pneumática do seu Arocs 2658 L 6×4. A carga útil do veículo, concebido primariamente para aplicações normais e de peso inferior, também foi um fator importante para Krause.

A Mercedes PowerShift prova o que vale na floresta e na estrada.

Para este empresário de 68 anos, a comodidade de utilização do seu novo veículo de transporte de troncos longos é mais uma grande vantagem adicional: “No Arocs, a caixa automática Mercedes PowerShift 3 é de série e eu habituei-me muito rapidamente a conduzir e a manobrar fora de estrada sem recorrer ao pedal da embraiagem. Acima de tudo, pude eliminar a necessidade de estar sempre a mudar de velocidade na estrada.” Isto porque, nos últimos anos, essa necessidade também tem aumentado cada vez mais no transporte de troncos longos. “Deve-se ao facto de, hoje em dia, termos de percorrer distâncias mais longas entre a floresta e as serrações.”

Assim, Krause calculou para o seu veículo novo, atualmente com um percurso de 300 quilómetros por cada dia de trabalho, até 80 000 quilómetros por ano. Além das distâncias de transporte cada vez mais longas, Dieter Krause valoriza também a capacidade Offroad do seu veículo de transporte. “Com o sistema de acionamento tandem de 6×4 e os bloqueios longitudinal e transversal, posso passar sem problemas em qualquer lugar do sul da Baixa Saxónia”, diz o especialista em transporte sediado em Lamspringe.


Força de tração abundante graças à cilindrada e à tecnologia Turbocompound.

Nos trabalhos que Dieter Krause realiza com o seu Arocs, a tecnologia de tração instalada de série proporciona tudo o que o camionista de transporte de troncos longos precisa, uma vez que a família de veículos Arocs foi concebida para aplicações pesadas relacionadas com o transporte de materiais de construção. O motor de grande volume OM 473, de seis cilindros, com 15,6 litros de cilindrada e tecnologia Turbocompound, gera 425 kW (578 cv) às 1600 rpm e alcança novos níveis com os seus 2800 Nm de binário às 1100 rpm. A caixa de 12 velocidades PowerShift funciona em perfeita harmonia com o motor, selecionando o escalonamento de velocidades mais adequado ao caráter robusto da máquina.

“Não sinto falta nenhuma dos oito cilindros”, refere Dieter, aludindo à recente mudança de geração nos grandes motores da Mercedes. “E estou muito mais satisfeito com a cabina confortável.” Dieter teria optado pela versão de tamanho superior, mas esta era um pouco mais alta do que a cabina ClassicSpace. “Não é compatível com o braço de grua que tem de ser dobrado por cima da cabina quando o veículo está totalmente carregado”, esclarece o condutor de transporte de madeiras que também opera a sua própria grua.

Novo modelo de topo planeado como reboque de aniversário.

Esta opção requer, já de si, um truque, proporcionado pelo parceiro de peças de reequipamento Bickel, ao fazer um corte no meio do tejadilho para recolher o braço da grua. “No meu próximo Arocs, isto já não será necessário”, indica Krause acerca dos seus planos de investimento. “Será um reboque de troncos curtos com uma grua traseira e deixará de haver limitações em relação à altura da cabina.”

O orgulhoso empresário de transporte de madeira refere casualmente e com um sorriso o facto de pretender encomendar o Arocs com motorização de topo de 460 kW (625 cv). Será o camião de sonho por ocasião do 70.º aniversário do especialista em transporte de madeiras e um ótimo camião-modelo a propósito do 50.º aniversário da firma Holz-Krause.

Sem comentários